Ecoturismo e turismo de aventura: fique por dentro das diferenças

Você sabe a diferença entre ecoturismo e turismo de aventura? Embora muitas pessoas acreditem que essas atividades são similares, há diferenças que devem ser observadas antes de partir para um roteiro outdoor.

Alguns conceitos precisam ser compreendidos para que a programação do passeio seja adequada e segura. Em algumas situações, o uso de equipamentos é fundamental para proporcionar ao participante uma experiência segura, única e agradável.

Neste post, você vai conhecer as principais diferenças entre esses dois tipos de atividades, entender a dinâmica de cada um e aprender detalhes de funcionamento que devem ser levados em consideração na hora de fazer a escolha.

O que é ecoturismo?

Essa é uma modalidade que tem como essência as viagens em ambientes naturais com forte apelo à preservação e conservação do patrimônio — natural e histórico —, além do respeito à cultura da população local e a todos os hábitos adquiridos ao longo dos anos.

A responsabilidade é o principal aspecto do comportamento do viajante, pois dela resulta a consciência de que as áreas naturais devem ser protegidas e livres de vandalismo ou qualquer ação que prejudique o meio ambiente.

O ecoturismo propõe uma viagem do homem para dentro de si mesmo em completa reflexão para integra-se ao ambiente de uma maneira minimalista e preocupada, inclusive, com envolvimento nas atividades de desenvolvimento, educação e economia da região, junto aos habitantes nativos.

O que é turismo de aventura?

O turismo de aventura já possibilita ao viajante uma vivência diferente, com práticas de atividades físicas que permitem a recreação e ao mesmo tempo um pacote de desafios que engloba a superação, a liberdade e a sensação de prazer absoluto.

Quais são as principais diferenças entre os dois conceitos?

Listar as diferenças facilita o entendimento e a definição do que melhor se conecta às expectativas e perspectivas. Há um universo grandioso para cada modalidade e você pode se fazer um convite para experimentar as duas em tempos distintos. Vejamos alguns tópicos.

Objetivos

No ecoturismo, o objetivo do viajante deve ser criar uma interação com o ambiente e dar ênfase à sustentabilidade e à preservação do verde, com exploração das áreas sem agressão ou intervenções que modifiquem o aspecto natural.

No turismo de aventura, embora o conceito de preservação se mantenha ativado, é possível perceber que as diferenças param por aí e que o viajante tende a usufruir da natureza de forma menos intimista para explorar os recursos disponíveis em suas aventuras.

Atividades

Muitas atividades se assemelham pelo contexto natural, mas diferem pela utilização dos recursos e espaços presentes nos ambientes. Atividades como tirolesa, espeleologia, rafting, cavalgada, caminhadas para reconhecimento da fauna e da flora são facilmente percebidos em cidades e regiões voltadas para o ecoturismo.

O turismo de aventura pode ser experimentado não apenas em ambiente puramente natural, mas em estruturas construídas em área urbana. São exemplos de turismo de aventura: ciclismo, canoagem, arborismo e mergulho.

Espaços

E por falar em espaços, no ecoturismo, tudo o que envolve a natureza e toda a sua exuberância faz parte do roteiro dos adeptos dessa modalidade. São lugares encantadores espalhados pelo Brasil em áreas de proteção ambiental.

Exemplos disso são as águas translúcidas de Bonito, no Mato Grosso do Sul, as águas termais do Jalapão, em Tocantins, ou ainda a Chapada dos Veadeiros e suas belíssimas paisagens em uma extensão de terra protegida pelo Parque Nacional.

Subir e descer montanhas não é nenhum sacrifício para os amantes do turismo de aventura. Atividades praticadas em terra, ar ou água são procuradas nos mais diversos lugares.

Em terra firme, o ciclismo permite o exercício contínuo da musculatura corporal; na água, o mergulho, além de proporcionar uma das mais belas imagens da natureza no fundo do mar, permite desenvolver habilidades ainda não experimentadas; e no ar impossível será descrever um voo de parapente sem experimentar o desafio e a sensação de liberdade que a atividade proporciona.

Competitividade

Em ambas as atividades, a competitividade abre espaço para a integração, o cooperativismo e o compartilhamento de experiências e ideias sobre as impressões vividas. O amor pela natureza e pelas atividades em meio a esse ambiente cria uma atmosfera harmônica e de pura leveza.

É possível ver os praticantes vibrando com as conquistas e a superação de desafios em uma relação de troca e afetividade. Essa é a verdadeira essência de um viajante da natureza.

Conservação do patrimônio

Como já dissemos, os ecoturistas fazem questão de manter a história da região preservada pela cultura do lugar. Também no turismo de aventura, embora menos acentuada, é possível perceber que há uma preocupação genuína em não danificar as estruturas esculpidas pela natureza.

Integração do homem e o meio ambiente

A integração do homem com o meio ambiente se dá de acordo com o que ele vivencia e prospecta como necessário para a sua evolução e melhora da autoestima. Muitos praticantes fogem de uma rotina extenuante pelo excesso de trabalho e responsabilidade para entrar em contato com a natureza e recuperar as energias.

O que levar em consideração para escolher entre o turismo de aventura e o ecoturismo?

A escolha pode ser de apenas caminhar entre colinas e montanhas ou praticar um esporte de aventura, consideração radical para alcançar o ápice da adrenalina e converter essa explosão em uma sensação de prazer e conquista.

Independentemente do tipo de turismo escolhido, é certo que a cada retorno para casa, mais o viajante perceberá que a natureza tem participação direta na vida do ser humano e que precisa ser preservada de todas as formas.

Não existe uma fórmula mágica de conexão com a natureza ou alguma atividade específica que seja gatilho para emoções mais fortes. Existe, sim, um desejo de viver experiências únicas e isso, somente se propondo ao desafio para encontrar aquilo que faz o coração pulsar de alegria.

Se você ainda não experimentou nenhuma dessas atividades, está mais do que na hora de criar um novo cenário para a vida em que se incluam exercícios do corpo e da mente junto à natureza.

Você curtiu este conteúdo sobre o ecoturismo e turismo de aventura? Já está pensando em como extravasar todas fadigas do dia a dia? Então continue a visita em nosso blog e conheça agora mesmo 8 motivos para se aventurar no voo duplo de parapente — uma experiência que você jamais vai esquecer!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *